Coordenação: Camila Popadiuk e Veridiana Marucio

Horário: Terças-feiras das 20h30 às 22h30

Modalidade: Presencial e on-line

Carga horária: 8h por disciplina

 

Eixo: a lógica do significante

Neste curso serão apresentadas as coordenadas que modulam o percurso de uma análise, iniciada com o ato de tomar a palavra via associação livre, tal como Freud propôs ao fundar a psicanálise. Visamos localizar na experiência analítica os furos na trama de sentido, que dão ao inconsciente o seu estatuto. Sonhos, chistes, atos falhos, são o índice de um saber que atravessam o sujeito sem que ele o saiba. Portanto, o percurso de uma análise decorre da ligação do sintoma com o significante, a partir do advento do sujeito do inconsciente, marcado por sua divisão, resultado da incidência da linguagem sobre o corpo e que tem como produto o objeto a, que é, ao mesmo tempo, causa de desejo e condensador de gozo.


Disciplina 1: associação livre: do que se trata?

  • Responsável: Rosângela Santos
  • Datas: 05/03, 19/03, 02/04 e 16/04
  • Cidade de transmissão: São José dos Campos

AULA 05/03 – Freud e a histeria: o começo de tudo?

Responsável: Rosângela dos Santos

Freud. S. Obras completas, vol. 2: Estudos sobre a histeria (1893-1895) em coautoria com Josef Breuer. SP: Cia das Letras, 2016.

AULA 19/03 – “Quando um sintoma era resolvido pela fala”

Responsável: Rosângela dos Santos

Referências bibliográficas:
Freud, S. Obras completas, vol. 2: Estudos sobre a histeria (1893-1895) em coautoria com Josef Breuer. SP: Cia das Letras, 2016. p. 40 a 75 e p.180 a 194.

AULA 02/04 – Sobre os Sonhos e a realização de desejo

Responsável: Rosângela dos Santos

Freud, S. Obras completas, vol. 5: Psicopatologia da vida cotidiana e sobre os sonhos (1901). SP: Cia das Letras, 2021. Parte 10, p. 432 a 434 e p. 15 a 23.

AULA 16/04 – Associação livre e atenção flutuante na lógica da experiência de análise

Responsável: Eliana M. Figueiredo

Freud, S. Obras completas, vol. 12: “Recomendações aos médicos que exercem a psicanálise” (1912).

Disciplina 2: Por que o sujeito do inconsciente não se reduz ao psicológico?

  • Responsável: Luiz Fernando Carrijo da Cunha
  • Datas: 12/03, 26/03, 09/04 e 23/04
  • Cidade de transmissão: São Paulo
Freud, S. (1915) “O inconsciente”. In: Obras completas, volume 12: introdução ao narcisismo, ensaios de metapsicologia e outros textos (1914-1916). SP: Cia das Letras, 2010.
Lacan, J. “Subversão do sujeito e dialética do desejo no inconsciente freudiano”. In: Escritos. RJ: Zahar, 1998.

Disciplina 3: Onde está a fala? Onde está a linguagem?

  • Responsável: Cláudia Reis
  • Datas: 30/04, 14/05, 28/05 e 11/06
  • Cidade de transmissão: Ribeirão Preto
Lacan, J. “A instância da letra no inconsciente ou a razão desde Freud”. In: Escritos. RJ: Zahar, 1998.
Saussure, F. de. “Natureza do signo linguístico”. In: Curso de linguística geral. SP: Cultrix, 2006.
Bibliografia complementar:
Lacan,J. “Do Significante e do significado”. O Seminário, Livro 3: as psicoses. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1988, p.187.
Popadiuk, C. “O inconsciente freudiano e o sujeito do inconsciente”. Carta de São Paulo: Revista da Escola Brasileira de Psicanálise Seção São Paulo, ano 28, nº1, abril 2021, p.42.
Harari, A. “O passe, as linguas e lalingua”. Opção Lacaniana nº60: Revista Brasileira Internacional de Psicanálise. São Paulo: Edições Eolia, 2011, p.51.
Santiago, J. “O nome, o oco e a fonação”. Opção Lacaniana nº67: Revista Brasileira Internacional de Psicanálise. São Paulo: Edições Eolia, 2013, p.89.
Reis, C. “Trauma, sintoma e invenção”. O trauma e o real na clínica: Revista do 4º Encontro da Nova Rede Cereda. nrc.br, 2014, p.57.
Temponi, N. e Reis, C. “Um corpo de angu”. Almanaque online nº 30, março 2023.

Disciplina 4: O universo do discurso

  • Responsável: James Alberto de Moura Valeriano
  • Datas: 07/05, 21/05, 04/06 e 18/06
  • Cidade de transmissão: Campinas
Lacan, J. “O seminário sobre “A carta roubada”. In: Escritos. RJ: Zahar, 1998.
Lacan, J., “O mito individual do neurótico” In: Zahar; RJ; 2008
Lévi-Strauss, C. “A eficácia simbólica”. In: Antropologia estrutural. SP: Cosac Naify, 2008.