CAPA-ENTREVÁRIOS-17

Entrevários 17

Entrevários 17

A Revista Entrevários 17 é dedicada ao tema da Interpretação, este conceito esteve no cerne da doutrina e da técnica freudianas. Interpretando os sonhos Freud nos ensina o que é a interpretação, faz da técnica da interpretação parte integrante da técnica psicanalítica. Todas as formações do inconsciente – sonhos, atos falhos, chistes e sintomas – são passiveis de interpretação.
Lacan faz seu retorno a Freud se servindo da linguística e é sob este prisma que ele relê o conceito de interpretação, abordando-o de diferentes maneiras ao longo de seu ensino.
No ano de 1953, em “Função e campo da fala e da linguagem em psicanálise” introduz a ideia de que a interpretação em psicanálise pode ser uma pontuação. Em 1958, em “A direção do tratamento e os princípios de seu poder” coloca a questão do lugar da interpretação com o objetivo de abordar o lugar do analista. Em seu “Seminário 6: o desejo e sua interpretação”, começa a examinar a interpretação do desejo. Nos dirá Miller, em uma publicação da diretoria na rede de 2013 intitulada O Outro sem o Outro…

Sumário

SUMÁRIO

11 Editorial
Milena Vicari Crastelo

15 Referência

17 Os limites da Interpretação
Marie-Hélène Brousse

45 Da Clínica …

47 Seu corpo não é seu ser
Luciana Ernanny Legey

51 Sobre o conceito de interpretação e algumas funções
Marcella Pereira de Oliveira

57 O sujeito o vazio e a interpretação
Maria Aparecida Malveira

61 Interpretação e Corpo – apontamentos iniciais
Paola Salinas

65 Inconsciente interpretante
Paula Catunda

69 … ao conceito

71 A criança, o inconsciente, a família – o que se interpreta?
Heloisa Prado Rodrigues da Silva Telles

79 A loucura e o Pai
Veridiana Marúcio

87 Psicanálise e a Cidade

89 Conversas com a cidade
Fabiola Ramon, Kátila Kormann Morel, Ricardo Coimbra de Mendonça, Roberta Augusta Borges Calixto Paravidini.

97 RESUMOS

106 NORMAS DE PUBLICAÇÃO

CAPA-ENTREVÁRIOS-18---004-02

Entrevários 18

Entrevários 18

EDITORIAL

Luiz Fernando Carrijo da Cunha*

Caro leitor,

Dois anos nos separam de nosso último número, o 17, da ENTREVÁRIOS. Um intervalo que, no aprés-coup, se deu não sem razão. Verificamos, neste espaço de tempo, a necessidade de avançarmos. Uma necessidade que não se restringe à edição semestral da Revista, mas que se estendeu sobre todo o campo de ação do CLIN-a. 

O trabalho e o empenho de cada um dos responsáveis pelas atividades até então em curso no Instituto não parou. Ele foi delineando um novo e necessário percurso diante da exigência que nos impomos, tanto no que diz respeito à parte do ensino, da pesquisa, quanto da face assistencial do CLIN-a. Nossa clínica, que já sofrera uma necessária transformação desde sua constituição…

Sumário

09 EDITORIAL
Luiz Fernando Carrijo da Cunha

12 CONFERÊNCIA SOBRE OS SONHOS (SÃO PAULO) Anaëlle Lebovits-Quenehen

27 O POSSÍVEL DA IMPOSSIBILIDADE DE EDUCAR: KANT, FREUD E LACAN
Mirmila Musse

52 UM SABER QUE SE DEVE LEVAR EM CONTA
Lucila Maiorino Darrigo

59 ENSINO E TRANSMISSÃO DA PSICANÁLISE
Laura Mansin de Oliveira Espagnoli

64 O ENSINO NO INSTITUTO NÃO SEM A ESCOLA
Sílvia Sato

71 ‘DE ONDE’ SE ‘ENSINA’?
Teresinha N. M. Prado

86 DAS DISCIPLINAS NECESSÁRIAS À TRANSMISSÃO
Jovita Carneiro de Lima

93 ESTILO E ATO: OPERADORES DO ENSINO?
Gustavo Oliveira Menezes

100 DOSSIÊ: CONVERSAÇÃO SOBRE O ENSINO
Camila Popadiuk e Rubens Berlitz

151 NORMAS DE PUBLICAÇÃO PARA AUTORES